domingo, 4 de julho de 2010

Maison des Spirites

Atual rua Copernico, nº8



Cartaz da Maison des Spirites, sede adquirida e adminstrada por Jean Meyer durante duas décadas. Localizado no número 8 da rue Copernic, o prédio continua arquitetonicamente intacto na capital parisiente, conforme mostra acima as imagens do Google.

Silvino Canuto Abreu, pesquisador brasileiro que copiou e adquiriu alguns importantes documentos sobre a história do Espiritismo durante sua visita a Maison des Spirites no final da década de 1930.

Jean Meyer e o casal Arthur Conan Doyle durante uma vista a Maison des Spirites na década de 1920.

Jean Meyer, fundador da Maison des Espirites e responsável pelo resgate e ressurgimento da Revue Spirite no início do Século XX .








Jean Mayer, discípulo de Allan Kardec.

Filantropo, escritor, cientista e filósofo suíço, naturalizado francês. Natural de Rinken, Suíça, de uma família modesta de agricultores; reencarnou no dia 8 de julho de 1855. Erradicou-se para a França aos 18 anos de idade, adquirindo nacionalidade francesa após ter criado, com o seu trabalho, uma situação de primeiro plano no comércio e, mais tarde, na exploração vinícola; desencarnou em Paris, no dia 13 de abril de 1931, após longos meses de sofrimento, paciente e corajosamente suportados.

Em 1914, Jean Meyer, então abastado insdustrial e comerciante suíço, considerado por suas obras de flinatropia, conheceu o Espiritismo por intermédio de sua prima Mme. Demare. Da mesma forma como acontecera com Camille Flammarion, Jean Meyer se tornou espírita lendo as obras de Allan Kardec e de León Denis. Ele descobriu nelas uma nova filosofia plena de lógica e de raciocínio, até então desconhecida, tornando-se um dos mais ilustres espíritas.

La Revue Spirite

A publicação de “ La Revue Spirite ” tinha sido interrompida com o número de agosto/setembro de 1915; espírita atuante e, pretendendo assegurar a sobrevivência desse órgão, criado por Allan Kardec, Jean Meyer assumiu a sua direção em 1916, fazendo-a reaparecer em janeiro de 1917.

Em 1918, Jean Meyer adquiriu os direitos de “ La Revue Spirite ”, de Paul Leymarie, assegurando, assim, a sobrevivência desse órgão. Paul Leymarie, porém, permaneceu na gerência de Revista até o ano de 1924, tendo como secretário Kermário, pseudônimo de um poeta.

A revista deixa a livraria. Jean Meyer adquiriu uma residência no número 8 da rue Copernic, a que deu nome de “Maison des Spirites”.

“ La Revue Spirite ” reunia, nesse tempo, as mais destacadas personalidades do Espiritismo: Gabriel Delanne, Leon Denis, Camille Flammarion, Ernesto Bozzano, A.Bénezech, Marcel Laurent, M. Cassiopée, General Abaut, Dr. Gustave Geley, Marcel Semezies, Pascal y Matilde Forthuny, Louis Gastin, Henri Sausse, Paul Bodier, Sir. Arthur Conan Doyle, Santoliquido, Rocco, León Chevreuil, Hubert Forestier e outros.

Em 1920 o tamanho da revista era de 25,5cm x 16,5cm e em 1923 era mensal, com 48 páginas. Jean Meyer exerceu a direção da Revue até 1931, quando desencarnou.

Unión Spirite Française

Em 1918, Jean Meyer, em sua residência na Vila Valrose, em Paris, fundou a Unión Spirite Française e, com Gabriel Delanne, fundo a revista “Survie de l’Ame Humanine”, com redação no número 28 da Avenue de Sycomores, Ville Mont-Morency, Paris.

Gabriel Delanne, pouco antes de seu desencarne, ocorrido em 15 de fevereiro de 1926, faz um acordo com Jean Meyer, em virtude do qual funde a resvista que dirigia, fundada em 1896.

Ainda em 1918, Jean Meyer adquiriu um belo hotel, onde foi instalada a Unión Spirite Française, com a qual também colaborara para dar nascimento, e que, a 23 de abril de 1919, foi reconhecido pelo Governo francês. O primeiro presidente deste instituto foi o Dr. Roque Santoliquido, professor, deputado e Ministro da Saúde Pública, ocupando a vice-presidência o não menos notável Dr. Gustave Geley.

Jean Meyer fundo também a editora Jean Meyer Editeur, criada com seu nome para possibilitar a publicação e propagação dos livros espíritas e metapsíquicos.

Em 1922, a “Librarie des Sciences Psychologiques”, por conta da Fundação Jean Meyer, a “Bibliothèque de Philosofie Spiritualiste Moderne et dês Sciences Psychiques (BPS)”, também fundada por Jean Meyer, lançaram “Editions Mille”, uma verdadeira operação de divulgação, a preços populares, das obras de Allan Kardec, de autores clássicos e contemporâneos. Somente de O Livro dos Espíritos, a tiragem foi de 70.000 exemplares.

Em 1924, no Congresso de Liège, Jean Meyer foi eleito vice-presidente da “Fédération Spirite Internationale”. Seu aluno e continuador foi Hubert Forestier.

Em 1925, na “Maison dês Spirites” se realizou o Congresso Mundial de Paris, tendo sido Jean Meyer o seu organizador e Leon Denis o presidente, que teve ao seu lado Arthur Conan Doyle, ilustre escritor britânico. Este congresso foi pleno de sucesso e o de maior repercussão.

Jean Meyer foi membro de várias entidades científicas da França e de outros países. Em 1928, com um fundo de 4 milhões de francos, constituiu a “Societé d”Etudes Métapsychiques”. No Congresso Espírita de Londres, realizado em 1928, juntamente com Arthur Conan Doyle, de quem era muito amigo, pronunciou as seguintes palavras: “É pela união da Ciência com o Espiritismo, com essa fé racional que ele nos dá, auxiliando-se um ao outro, que chegaremos a uma compreensão cada vez mais justa e sempre mais elevada da obra de Deus”.

Meyer despendeu parte de sua fortuna na divulgação do espiritismo através das Edições Meyer e na sustentação da Unión Spirite Française. Teve em Gustave Geley um companheiro com o qual estudou muito e desenvolveu persistentes investigações.

Em 13 de abril de 1931, desencarnou. Foi um digno e destacado continuador da obra de Allan Kardec.

Fonte: Revista ICESP